31 de mai de 2013

Livros de TI em português disponíveis para Download



Dezenas de livros da Editora Pearson escritos em português disponíveis para download, incluindo vários títulos relacionados a Redes de Computadores e Tecnologias Cisco.

Para quem estuda Redes, e principalmente Redes Cisco, encontrar títulos em português é algo muito raro.

Além dos clássicos escritos por autores consagrados como Tannenbaun e Kurose, a Editora Pearson publicou há alguns anos atrás os Study Guides da CiscoPress que cobriam os antigos exames CCNP.

Para os caçadores de PDF de plantão, segue o link onde pode-se fazer o download dos PDFs das obras acima descritas:

https://mega.co.nz/#F!r5g0nRoC!dpnW0xYBCLR7wVqPchnbhA

Boa Leitura !!!

29 de mai de 2013

Tráfego da Internet brasileira deve crescer 2 vezes até 2017



Previsão é de estudo da Cisco que aponta que nos próximos quatro anos o País vai transmitir pela web 3,3 exabytes, ante 1,5 exabytes em 2012.

O tráfego IP deverá crescer aproximadamente duas vezes no Brasil até 2017 e transmitir por mês 3,3 exabytes de informações frente ao 1,5 exabytes em 2012, de acordo com o estudo Cisco Visual Networking Index, realizado pela Cisco.

O tráfego IP em 2017 no Brasil será o equivalente a 10 bilhões de DVDs por ano, 822 milhões de DVD´s por mês ou um milhão de DVD´s por hora. Até lá, o gigabite equivalente a todos os filmes feitos até agora vão cruzar a rede IP do País a cada duas horas.

Mais da metade da população brasileira (52%) terá acesso à Internet em 2017. Serão 110 milhões internautas no País, frente aos 67 milhões em 2012.

Já em termos globais, o tráfego mundial IP da internet vai triplicar até 2017, segundo o estudo da Cisco. O volume de informações chegará a uma taxa anual de 1,4 zettabytes - mais de um trilhão de gigabytes, alcançando aproximadamente 121 exabytes por mês até 2017, contra cerca de 44 exabytes por mês em 2012 (121 exabytes equivalem a 30 bilhões de DVDs, ou 28 trilhões de MP3; ou 750 quatrilhões de mensagens de texto).

O estudo atualizado inclui o crescimento do tráfego IP fixo global e as tendências de adoção de serviços, complementando o VNI Global Mobile Data Traffic Forecast lançado no início deste ano.

A pesquisa aponta que em 2017 haverá cerca de 3,6 bilhões de usuários de Internet - mais de 48% da projeção demográfica mundial (7,6 bilhões). Em 2012 havia 2,3 bilhões internautas, 32% da população mundial (7,2 bilhões).

As previsões são de que a média global de velocidade de banda larga fixa aumente cerca de 3,5 vezes entre 2012 e 2017, passando de 11,3 Mbps para 39 Mbps.

A média global de velocidade de banda larga fixa aumentou 30% de 2011 a 2012, de 8,7 Mbps para 11,3 Mbps. Os usuários globais da rede irão gerar 3 trilhões de minutos de vídeo de Internet por mês, ou seja, 6 milhões de anos de vídeo por mês, ou 1,2 milhão de minutos de vídeo a cada segundo, o que equivale a dois anos de vídeo por segundo.

Até 2017, haverá quase 2 bilhões de usuários de vídeo pela Internet no mundo (excluindo aqueles exclusivamente móveis), comparado a 1 bilhão de usuários de vídeo da Internet em 2012.

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/telecom/2013/05/29/trafego-da-internet-brasileira-deve-crescer-2-vezes-ate-2017/

SDN: todos contra a Cisco



Uma grande batalha está prestes a acontecer na área de redes, enfrentando a líder inconteste Cisco com todo tipo de concorrentes, desde multinacionais até startups, turbinadas pela tendência emergente das redes definidas por software (SDN, na sigla em inglês).

Com o SDN, os administradores podem gerenciar roteadores e switches por meio de software. É a aterrizagem no setor de networking a tendência de virtualização que revolucionando o resto da indústria de TI nos últimos anos.

Durante o Ethernet Inovation Summit, evento comemorativo dos 40 anos da criação da Ethernet realizado pela Net Events que reuniu jornalistas e analistas na Califórnia, gigantes como HP, Juniper e Dell se juntaram com novatas como a Nuage Networks para tentar capturar o máximo possível do hype em torno do SDN, enquanto a Cisco manteve uma postura mais discreta.

“O futuro é sobre ser aberto. Todo mundo ganhará participação com um ambiente aberto e otimizado, menos a Cisco", afirmou o vice presidente de Enterprise Marketing da Juniper Networks, Steve Collen dando a tônica em uma mesa redonda com representantes da Dell, HP e Cisco.

Para a Cisco, que detém 65% do mercado de switches Ethernet, avaliado em US$ 20 bilhões, segundo uma avaliação do Synergy, além de deter 70% do mercado de roteadores e lideranças nas áreas de sistemas de voz, WLAN e telepresença, a ameça do SND não é tão grande assim.

“Nós vamos apoiar standarts abertos, mas nós continuamos a acreditar na necessidade de inovar em hardware. Fomos nós que introduzimos standarts como Power over Ethernet, tag switching e MPLS”, rebateu Sachin Gupta, diretor senior de Enterprise Networking da Cisco.

No momento, os números não justificam a conversa sobre a inevitável comoditização do mercado de networking, com clientes migrando do hardware caro da Cisco para opções mais baratas, nas quais as funcionalidades são produto de apps em uma camada de software.

O SND é um mercado de apenas US$ 360 milhões no momento, podendo chegar até US$ 3,7 bilhões até 2016 na avaliação do Gartner. Os números incluem tudo – da infraestrutura de redes e camadas de aplicações até soluções de monitoração e serviços profissionais.

Mas as coisas tem se movido rápido. Em julho do ano passado, a VMware chamou a atenção do mercado esta semana ao investir US$ 1,26 bilhão na compra da Nicira, uma startup especializada em uma tecnologia aberta de gestão de tráfego de rede baseada no padrão Open Flow.

A própria Cisco investiu US$ 100 milhões na startup Insieme, com possibilidade chegar a até US$ 750 milhões. A Alcatel Lucent criou a Nuage Networks para atuar nesse mercado.

“Não é um hype porque a demanda é real. As redes são configuradas manualmente há 30 anos e isso simplesmente não vai escalar para a as novas necessidades dos clientes”, avalia Mike Banic, vice presidente de Marketing da HP Networking.

Uma prova do ponto de Banic é o fato do Google ter decidido criar seu próprio protocolo baseado em SDN para gerir seus enormes data centers.

Mesmo em termos de participação de mercado as coisas podem já ter começado a se mexer.

Arpit Joshipura, vice presidente de Marketing de Produto da Dell Networking, mostrou números da consultoria Dell Oro Group, indicando que a Dell já saltou da sexta para a terceira colocação, no mercado de Enterprise Ethernet.

No primeiro trimestre, a Cisco teria caído 5 pontos percentuais (mesmo assim, permanecendo com mais de 70% do mercado), enquanto a HP se manteve no mesmo nível e a Dell subiu 1,8%.

Se é o primeiro passo numa mudança significativa no mercado ou apenas um pequeno tremor numa trajetória de liderança da Cisco, ainda não é possível saber.

* Maurício Renner cobre o Ethernet Inovation Summit à convite da Net Events.

Fonte: http://www.baguete.com.br/noticias/27/05/2013/sdn-todos-contra-a-cisco

28 de mai de 2013

Seminário de BGP Online - Gratuito



Cisco promove Seminário de BGP com especialista CCIE com mais de 10 anos de experiência. Assista a este evento interativo na terça-feira 18 de junho de 2013, às 11:00 a.m. horário de Brasília (UTC -3 horas).

Durante este evento ao vivo, serão abordados os fundamentos do BGP e outros assuntos importantes como quando e porque utilizar BGP, tipos de troubleshooting e outros tópicos interessantes relacionados à configuração deste protocolo de roteamento.

Marcio Teixeira Ferreira é engenheiro de suporte focado do FTS da Cisco, a área do TAC Brasil focada em atendimento a grandes clientes, especializado em tecnologias de routing e switching e arquitetura de dispositivos de backbone. Marcio tem mais de 10 anos de experiência na área e é certificado CCIE R&S, (número 16159), CCIP e CCSP.

Acesse para mais informações sobre o tema e para fazer perguntas aos especialistas após o webcast.
O evento estará aberto ao público incluindo parceiros de negócio.

Você sabia que quando você tem algum problema técnico você pode fazer suas perguntas antes de abrir um caso com o TAC? Visite a Comunidade de Suporte Cisco.

Inscreva-se agora mesmo no link abaixo:

http://tools.cisco.com/gems/cust/customerSite.do?METHOD=E&LANGUAGE_ID=P&SEMINAR_CODE=S18426&PRIORITY_CODE=cisco

Aguardamos sua presença.

Agenda

Duração aproximada: 90 minutos

22 de mai de 2013

CCNA Presencial em Junho de 2013


Abertas as inscrições para a próxima turma aos sábados do curso CCNA Presencial - Preparatório para a Prova 640-802.

Caros,

Estão abertas as inscrições para o curso preparatório para a Certificação CCNA 640-802 que será realizado no início de junho de 2013.

O treinamento ocorre na região central de São Paulo. São apenas 10 vagas, à um valor promocional de R$ 990,00

O curso será ministrado aos Sábados, das 09:00hs às 18:00hs, com intervalo de 1 hora para almoço e coffee-breaks. O pagamento pode ser parcelado em até 12x via PagSeguro.

Os participantes contarão com acesso à equipamentos reais (racks equipados com roteadores Cisco 2620 e switches Catalyst 2960 - dois Roteadores e um Switch por aluno).


Quando: dias 08/06, 15/06, 22/06, 29/06 e 06/07 sempre das 09:00hs às 18:00hs

Onde: Rua Marquês de Itu, 408 – Conjunto 24 (próximo a Estação República do Metrô)

Quanto: R$ 990,00 (Podendo ser parcelado em até 12X via PagSeguro)

Diferenciais: Incluso no custo o livro CCNA 4.1 e acesso / suporte online via ambiente CCNA CloudCampus pelo período de 3 meses.

Os interessados devem enviar e-mail solicitando instruções para matricula para:

adilson.aflorentino@gmail.com

◦Inscrições Abertas por tempo limitado: apenas 10 vagas. Garanta já a sua !!!

16 de mai de 2013

Fabricação local deve gerar 50% do faturamento da Cisco no Brasil até 2016



Fabricando set-top boxes no Brasil desde 2011 e, desde setembro do ano passado, roteadores integrados de segurança, mobilidade e controle de aplicações, a Cisco espera que as receitas de equipamentos produzidos localmente respondam por quase a metade do faturamento da empresa no País até 2016.

De acordo com o diretor de Operadoras da Cisco do Brasil, Anderson André, o cálculo leva em conta não apenas os produtos direcionados para abastecer o mercado local, mas também para exportação.

Os equipamentos são fabricados de acordo com o Processo Produtivo Básico (PPB) e a Cisco tem trabalhado junto com seus parceiros para atender as exigências de conteúdo nacional do Regime Especial do Plano Nacional de Banda Larga (REPNBL-Redes).

O próximo passo, segundo André, é a inauguração de um centro de pesquisa e desenvolvimento local. "Fazemos roteadores para a América do Sul inteira, mas para isso, não precisamos de gente qualificada. Com esse centro, abriremos nossos códigos de equipamentos para novas áreas como SDN (Software Defined Network) e Open Flow, faremos o desenvolvimento de inteligência local e isso terá efeito multiplicador para o País", diz o executivo. A ideia é trabalhar com clientes, como operadoras, e eventualmente exportar as soluções desenvolvidas localmente.

Fonte: http://www.teletime.com.br/14/05/2013/fabricacao-local-deve-gerar-50-do-faturamento-da-cisco-no-brasil-ate-2016/tt/340437/news.aspx

15 de mai de 2013

Desvendando o mistério das VLANs proibidas



Vc já ouviu falar de Internal VLANs ???

Quando ativamos um Switch em modo transparente (desativamos o VTP) é possivel criar VLANs dentro do range de 1006 a 4094, isto permite a uma empresa criar um número bem maior de VLANs (se a caixa suportar isso, é claro).

Como melhor prática, sugere-se começar a alocação das VLANs dentro da faixa estendida em ordem decrescente (de 4094 até 1006). Por quê isto ? A resposta está na figura acima. O IOS separa algumas VLANs estendidas do início do range para algumas tarefas especiais.

Interfaces em um Switch L3 que foram configuradas como roteadas (com o comando no switchport), interfaces túnel e vários processos internos relacionados com trunk, multicast e outros consomem VLANs para utilização interna. (vc não consegue visualiza-las como um simples show vlan).

Com a grande quantidade de VLANs possíveis no range estendido, é uma boa prática usar o comando show vlan internal usage para evitar transtornos (se vc tentar utilizar uma VLAN interna, uma mensagem de erro irá indicar que está já está em uso pelo sistema e não pode ser utilizada para outro fim).

Caso vc queira que as VLANs internas ocupem os últimos e não os primeiros endereços do range estendido, use o comando abaixo:


Router# configure terminal

Router(config)# vlan internal allocation policy descending




Convém lembrar que, apesar do VTP das versões 1 e 2 não suportar o range estendido de VLANs, o VTP versão 3 já faz isso.

Maiores Informações: http://www.cisco.com/en/US/docs/switches/lan/catalyst3560/software/release/12.2_55_se/configuration/guide/swvlan.html#wp1200242

Conheça a Cisco Live Magazine



Revista em formato digital disponibilizada gratuitamente pela Cisco em português trás uma série de reportagens interessantes sobre o mundo das redes. Vale a pena conferir.

Dando uma olhada no SlideShare encontrei no espaço reservado para a Cisco do Brasil, entre outros documentos interessantes, esta revista digital.

Achei os textos muito bons, recomendo para aqueles que querem se manter antenados com as novidades da Gigante das Redes. Uma pena que a revista é quadrimestral. A última edição que encontrei no ar é a de número 9, que data do final de 2012. Creio que logo a edição do primeiro quadrimestre deste ano será disponibilizada.

Além da revista, no SlideShare há uma série de apresentações e Listas de parceiros e revendas.

Vale a pena conferir: http://www.slideshare.net/ciscodobrasil/revista-cisco-live-9

Abs,

14 de mai de 2013

Cisco cria serviço de localização Indoor



Solução, construída em parceria com a Qualcomm, será disponibilizada para desenvolvedores do mundo inteiro no fim do ano.

Las Vegas - Aproveitando a tendência cada vez maior de disponibilizar hotspots Wi-Fi em lugares públicos, a Cisco e a Qualcomm estabeleceram uma parceria para promover serviços de localização indoor, funcionando da mesma forma como o serviço de posicionamento global de satélites (GPS).

O serviço será disponibilizado a desenvolvedores de aplicativos para aproveitarem as oportunidades da nova função. As empresas anunciaram a nova tecnologia durante a conferência Interop, realizada em Las Vegas, nos Estados Unidos, nesta semana.

De acordo com o executivo da Cisco Bob Friday, a nova tecnologia surge de uma aquisição de uma empresa de localização e análise de dados em setembro. As companhias fizeram uma demonstração no prédio da MGM em Las Vegas com ajuda da Samsung com seu smartphone Galaxy Express.

"A demonstração é sobre como a rede trabalha com os chipsets Snapdragon da Qualcomm e como podemos entregar uma assistência de rede em uma experiência móvel, ou seja, a mesma experiência do GPS, mas indoor", explicou ele com exclusividade para este noticiário.

O serviço utiliza triangulação com os hotspots Wi-Fi, atualizando a posição do device na rede a cada segundo. Segundo o executivo, isso causa impacto mínimo na rede, pois o tráfego utilizado para a localização seria pequeno. Além disso, a companhia oferece um aplicativo que funciona de forma contextual, avisando sobre os estabelecimentos comerciais próximos ao usuário. E a ideia também é abrir a tecnologia para a utilização em outros aplicativos.

"A visão em longo prazo é de deixar isso disponível para a indústria para que qualquer desenvolvedor de aplicativo possa utilizar essa capacidade indoor", declara. A solução estará disponível até o final do ano no mundo inteiro, ainda de acordo com o executivo da Cisco.

Solução para interferência

Na previsão do relatório Cisco VNI, mais da metade do tráfego em smartphones e tablets em 2016 será feito por redes wireless fixas. Assim, o serviço de Wi-Fi também é uma das armas da empresa para ajudar a solucionar o problema de falta de espectro, realizando o offload da rede móvel de maneira seamless, isto é, transparente e suave, sem que o usuário precise autenticar ou se registrar em algum site.

"Hoje em dia as pessoas não ligam para o Wi-Fi, elas ligam para a conexão à Internet", dizFriday. Ele diz que ha um interesse global sobre o assunto, inclusive na América do Sul. "O Wi-Fi tem se tornado uma parte importante, pois haverá uma combinação de espectro licenciado e não-licenciado", diz, embora não saiba informar se há alguma conversa com operadoras brasileiras. A Claro lançou recentemente um serviço do tipo para seus hotspots com aparelhos iOS (iPhone, iPad e iPod touch).

Privacidade

A companhia também aposta no que chama de Billboard Experience, na qual coloca uma marca d'água, um ícone, no navegador do device enquanto o usuário está acessando a rede. "Isso reduz a fricção (na tela), queremos deixar esse device mais útil", afirma Friday. Na visão da Cisco, a ideia é não exigir muita digitação na tela do aparelho, permitindo interações com apenas o dedo polegar. "É o mesmo conceito de quando a pessoa está surfando na Internet e tem aquela experiência de dois cliques para acesso fácil a serviços." A ferramenta utiliza HTML5 e se conecta à nuvem da companhia, com uma camada de serviços por trás, mandando mensagens baseadas em contexto ao usuário. Segundo Friday, o serviço é totalmente opcional – caso não queira, o consumidor pode evitar.

Fonte: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/cisco-cria-servico-de-localizacao-indoor?page=1

9 de mai de 2013

WorkShop Gratuito - CFTV IP



O Grupo Policom® tem o prazer de convidar você para conhecer nossa mais nova e exclusiva, solução CFTV IP.
A linha GERP IP foi projetado para oferecer equilíbrio entre performance e preço agressivo, viabilizando uma solução IP para qualquer perfil de projeto de segurança.

INSCREVA-SE

Programação
Logo GERP IPBullet GERP IP
9h às 10h Soluções GERP IP
Visão geral da linha GERP IP;
Funções e diferenciais;
Demonstração ao vivo;
SOFTWARE integrado;
Garantia e assistência técnica.
Palestrante
Engº. Marcos Paulo – Supervisor Técnico do Grupo Policom.

10h às 10:15h Coffee break


Logo VideoTec VideoTec Gecko
10:15h às 11h
Lançamento: Iluminadores IR Videotec;
Novidades Micronet.
Palestrante
Engº. Marcos Paulo – Supervisor Técnico do Grupo Policom.


Logo Fluidmesh Fluidmesh MITO
11:00h Lançamento: Rádios para CFTV Fluidmesh
Visão geral da linha MITO;
Funções e diferenciais em relação à concorrência
Garantia e assistência técnica.
Palestrante
Daniel Pegorer, gerente de contas e CFTV.

12:00h Encerramento.

Local do Workshop

Rua Costa Aguiar, 1714, Ipiranga, São Paulo, SP, CEP 04204-002.

Telefone: (11) 2065.0801

Agora sou ... CCNA VOICE !!!



Hoje a tarde prestei o Exame 640-461 e passei com o Score de 976. Agora sou CCNA Voice !

Foram 70 questões numa prova com 120 minutos de duração (30 minutos a mais por não ser o Inglês meu idioma nativo). Não caiu nenhum cenário para mim, apenas questões de múltipla escolha e umas 3 questões de Drag and Drop (arrastar e soltar).

Para quem se interessa em conquistar este título, sugiro que foquem em seus estudos:


- Caracteristicas de dados, voz e video, bem como as diferenças entre estes serviços.

- Como reiniciar um telefone IP (diferenças entre reset e restart)

- Ground Start X Loop Start, conceito de Glare

- Comandos básicos para configuração do CUCM/CUCME (telephony-service, ephone, ephone-dn, etc)

- Caracteristicas básicas dos protocolos SCCP, SIP, H323 e MGCP

Como material de estudo, utilizei o Study Guide oficial do CCNA Voice escrito pelo Jeremy Cioara (muito bom por sinal, !), além de uma VM rodando o CUCM Não achei a prova dificil, na verdade, espera mais conceitos teóricos, no estilo da antiga prova de CVOICE, mas o Exame foca bastante na utilização prática do CUCM, CUCME e Unity, chegando mesmo a cobrar nomes de menus e opções usadas dentro destas ferramentas. Acho fundamental para o candidato ter contato com estas ferramentas para criar uma base sólida para o exame.

Abs,

7 de mai de 2013

USP instala a primeira rede acadêmica brasileira em 100 Gbps



(03/05/2013) - Assumindo novamente uma posição de liderança do cenário brasileiro, a USP estabeleceu em 26/04/2013 o primeiro canal de comunicação de 100 Gbps de sua Rede de Comunicação (USPnet), interligando o Centro de Computação Eletrônica (CCE-USP) ao Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores da Escola Politécnica (LARC-EPUSP). Os equipamentos envolvidos nesta interconexão foram adquiridos pelo projeto denominado Conexão à Rede ANSP, financiado com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), que foi criado em 2002 e é anualmente renovado desde então.

A coordenação deste projeto FAPESP, durante o ano de 2012, foi exercida pelo Prof. Dr. Edson dos Santos Moreira, especialista em redes de computadores e docente do Instituto de Ciências e Matemática de São Carlos (ICMC-USP), quando atuou como assessor do então responsável pela Superintendência de Tecnologia da Informação da USP (STI-USP), Prof. Dr. Gil da Costa Marques. Mais recentemente, tal Superintendência foi assumida pelo Prof. Dr. Antonio Roque Dechen. A docente responsável pela implantação do canal de 100 Gbps no LARC-EPUSP foi a Profa. Dra. Regina Melo Silveira.

Segundo o Prof. Dr. Jaime Simão Sichman, diretor do CCE-USP que foi o órgão executor do projeto, trata-se de um marco importante na conectividade de rede da Universidade. “A USP foi pioneira na instalação de uma rede acadêmica de 10 Gbps, ocorrida em meados de 2003, quando interligamos o CCE-USP ao ponto de ligação do Backbone da Escola Politécnica. Agora, 10 anos depois, somos novamente pioneiros e conseguimos realizar uma ligação 10 vezes mais rápida novamente entre o CCE e a POLI.”

Até onde se tem conhecimento, este projeto é o primeiro a introduzir a tecnologia de 100 Gbps em uma universidade latino-americana. Nos testes de geração de tráfego realizados em 30/04/2013, obteve-se uma taxa de ocupação máxima de 99.58 Gbps.

No projeto, foram adquiridas quatro interfaces de 100 Gbps, o que possibilita a implantação de duas conexões nesta tecnologia. Confirmando o caráter inédito da iniciativa, o Sr. Claus Troppmair, representante da empresa Juniper Networks, fabricante dos equipamentos, informou que as quatro interfaces adquiridas pela USP são as únicas fornecidas pela empresa no Brasil até o momento.

A titulo de comparação, a nova tecnologia é 50 mil vezes mais rápido que o acesso em banda larga mais comum no Brasil (até 2 Mbps, segundo o estudo NetSpeed Report - IBOPE Nielsen Online de junho de 2012), possibilitando a realização de download de um DVD em menos de um segundo ou de um Blu-Ray em apenas 4s.

Esta iniciativa da USP é de suma importância para a área de ensino e pesquisa, pois atenderá aos desafios trazidos pelos novos paradigmas computacionais, tais como a computação em nuvem e o Big Data. Também possibilitará o uso na rede de aplicações de vídeo de ultra-alta definição, tais como 4K e 8K, respectivamente, 4 e 16 vezes a resolução das TVs Full HD atualmente existentes no mercado. Assim sendo, o investimento feito pela USP vai ao encontro das crescentes demandas por largura de banda.

Atualmente o enlace encontra-se em testes, com o apoio das empresas parceiras Padtec, JDSU e Juniper, para em seguida ser utilizado na interligação entre os Data Centers (IDCs) principal e secundário do ambiente de computação em nuvem da USP (Cloud USP).

Fonte: http://www.cce.usp.br/?q=cceinforma

2 de mai de 2013

Cuidado para não levar gato por lebre



Vários centros de treinamento estão oferecendo cursos preparatórios para o novo exame CCNA - 200-120. Tome Cuidado !

Há pouco tempo atrás divulgamos aqui as mudanças referentes ao novo exame CCNA. Vc pode conferir a relação dos tópicos que foram incluídos e excluídos no post abaixo:

http://www.netfindersbrasil.blogspot.com.br/2013/03/cisco-anuncia-novo-exame-ccna.html

Acontece que estou vendo por ai várias Instituições vendendo cursos preparatórios "atualizados", já cobrindo os novos tópicos da prova, muitas vezes prometendo preparar tanto para o antigo quanto para o novo exame.

Vale a pena lembrar que:

1) Para o novo exame, são utilizados switches 2960 e roteadores da familia 2900 - a maioria dos que estão oferecendo o novo curso não fez nenhuma atualização de hardware em seus laboratórios.

2) É necessário que o Instrutor ao menos tenha feito o novo exame.

3) Certifique-se que realmente todos os tópicos do novo exame são abordados (confira no post acima citado)

Eu acho no mínimo estranho oferecer o curso numa versão atualizada sem tomar os cuidados descritos acima. Creio também que há muita gente usando a mudança do Exame como ferramenta de Marketing para alavancar suas vendas sem muito cuidado com o produto final.

Lembro ainda que o exame atual ainda ficará um bom tempo no mercado. Só haverá material em inglês no Netacad em Setembro e a tradução em português provavelmente só estará disponível em 2014.

Há muito material disponível para estudo em português da prova antiga, vc será o mesmo CCNA, não importa que versão de exame faça.

Não compre gato por lebre !

Abs,

1 de mai de 2013

NetWork Conference



No dia 1º de Junho, um sábado, das 9h às 13h acontecerá no IFRN, Campus Central de Natal, RN, o Network Conference. O evento tem como público-alvo estudantes e profissionais da área de Redes de Computadores.

A entrada está condicionada à doação de 2kg de alimentos.

Bancos de dados: O que os profissionais de rede precisam entender?

Gerenciamento de eventos e monitoramento de ativos e serviços de rede - Estudo de caso do TJRN

Palestra na área de Segurança da Informação com título a ser definido.

Maiores Informações:

Facebook https://www.facebook.com/NetworkConference
Twitter: twitter.com/netconferencern
Site: www.networkconference.com.br

Cresce demanda por profissionais de TI no Brasil, mas há falta de mão de obra qualificada



Oportunidades em TI devem crescer com os grandes eventos no país, porém deve haver uma lacuna de 117.200 profissionais especializados em redes e conectividade em 2015.

SAO PAULO, BRASIL - (03/14/2013) - A demanda por profissionais de tecnologia da informação e comunicação (TIC) no Brasil excederá a oferta em 32% para o ano de 2015, chegando a uma lacuna de 117.200 trabalhadores especializados em redes e conectividade. Os dados são de um novo estudo da consultoria independente IDC, encomendado pela Cisco na América Latina.

O estudo "Habilidades em Redes e Conectividade na América Latina" (Networking Skills Latin America), analisou a disponibilidade de profissionais capacitados em TIC entre os anos 2011 e 2015, em oito países da região: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru e Venezuela.

No ano 2011, a América Latina teve uma lacuna de aproximadamente 139.800 profissionais com conhecimentos em redes e conectividade (aqueles necessários para planejar, desenhar, administrar e apoiar as tecnologias de redes em uma organização), com uma projeção de aumento desta lacuna para 296.200 para 2015. Estas cifras representam uma carência de 27% no ano de 2011 e de 35% em 2015.

A demanda por profissionais capacitados em redes e conectividade na América Latina está motivada pelas seguintes tendências:

Demanda por uma maior eficiência na infraestrutura de TI, com a virtualização como o grande vetor
Rápida adoção de TIC por parte dos governos e o setor privado
A proliferação de dispositivos conectados
Requerimentos da rede para suportar aplicações interativas (vídeo) e negócios suportados por TIC virtualizados.
Crescente demanda de conectividade baseada ou hospedada na nuvem através de múltiplas empresas

No Brasil há o impacto também da Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016 no aumento dos investimentos em TI por parte das empresas e Governo.

Resultados-chave do estudo no Brasil:

A lacuna de profissionais de rede e conectividade no Brasil em 2011 foi de aproximadamente 39.900 trabalhadores, o equivalente a 20% entre oferta e demanda de mão de obra.
A maior escassez ocorreu na chamada rede essencial, como segurança, telefonia IP e redes sem fio, com uma lacuna de 23.643 profissionais ou 17%.
Percentualmente, porém, a rede emergente, como comunicações unificadas, vídeo, computação em nuvem, mobilidade e data center e virtualização, representou uma maior escassez, com 27% entre a oferta e demanda de profissionais qualificados, uma lacuna de 16.232 profissionais em 2011.
Em 2012, a demanda prevista foi de 239.653 empregos na área de redes, com a possibilidade de chegar a 363.584 em 2015.
Para o ano de 2013 a previsão é de 276.306 vagas para 199.819 profissionais, uma lacuna, portanto, de 28% ou 76.487 de mão de obra.
As 363.584 vagas previstas para 2015 devem se concentrar mais na rede essencial com 232.032, mas a lacuna maior será na rede emergente, com 131.552 vagas para 64.650 profissionais qualificados (escassez de 51% ou 66.702 profissionais).
Com esses números, o Brasil é o segundo país com dificuldades para encontrar candidatos tecnicamente qualificados, ficando atrás apenas do México entre os países pesquisados na América Latina. Isso ocorre porque com a disponibilidade insuficiente de profissionais capacitados no mercado fica mais caro contratar e empregar profissionais de rede qualificados.
O Brasil registrou a menor taxa de recrutamento de profissionais de rede com apenas 19% das empresas entrevistadas contratando especialistas de rede durante o último ano. Considerando essa falta de candidatos qualificados, a IDC considera que as empresas brasileiras estão cada vez mais obtendo habilidades de rede de provedores de serviços por meio da terceirização.
As políticas governamentais e a dinâmica do setor são fatores de motivação importantes de um mapa tecnológico planejado. Apesar do aumento sazonal de desemprego no Brasil, a mão de obra qualificada permanece escassa o suficiente para forçar os empregadores a pagarem mais para competir por especialistas. Por outro lado, isso pode alimentar uma pressão inflacionária. A escassez de mão de obra qualificada forçou a média salarial a uma alta para atender à demanda do consumidor.
Os investimentos em TI por parte das empresas e governo para atender a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, 2014 e 2016, respectivamente, e os recentes incentivos fiscais do Governo sobre equipamentos de rede (incluindo dispositivos para o consumidor, como smartphones), juntamente com "novas" regras para o leilão do 4G contribuem para aumentar a lacuna de habilidades.
A IDC espera que o mercado de TI cresça a uma CAGR (taxa de crescimento anual composta) de 12% entre 2011 a 2015 no Brasil.

Destaques da América Latina

Os conhecimentos básicos em redes como segurança, telefonia IP e redes sem fio representaram 55% do total de lacuna de profissionais capacitados em 2011 na América Latina e representará 44% em 2015. Houve uma escassez de cerca de 76.800 profisionais em 2011, que aumentará para 129.100 em 2015. Essas cifras representam uma escassez de 22% no ano de 2011 e de 25% em 2015.
Os conhecimentos em tecnologias de redes emergentes, como comunicações unificadas, vídeo, computação em nuvem, mobilidade e data center e virtualização, representaram 45% do total de lacuna em 2011, aumentando para 56% em 2015. Dentro deste grupo, o estudo estimou uma escasez de pessoal capacitado de aproximadamente 63.000 profissionais, aumentando a 167.100 em 2015. Estas cifras representam uma lacuna adicional projetada de 42% em 2011 e de 53% em 2015.
75% da organizações pesquisadas veem as certificações de fabricantes como um importante atributo para avaliar o potencial de profissionais para posições relacionadas com redes.
25% dos entrevistados declararam ter contratado profissionais de redes nos últimos 12 meses.
Uma significativa proporção de organizações (27%) nos oito países pesquisados reconheceu que é difícil encontrar engenheiros com conhecimentos adequados para cumprir os requerimentos de suas organizações. A razão primária disso é o custo associado para contratar pessoal capacitado. A segunda razão é a dificuldade em avaliar a qualidade dos candidatos.
As posições de segurança são as mais difíceis de ocupar. Isto porque o conhecimento de segurança é uma demanda crescente nos oito países. 87% das empresas disseram que requerem habilidades extras nesta área nos próximos 12-24 meses.

Metodologia de estudo

A IDC realizou 767 entrevistas em oito países na América Latina: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Perú e Venezuela. As entrevistas foram realizadas entre abril e outubro de 2012 e segmentadas por indústrias verticais e tamanho: governo, educacção, saúde, telecomunicações, serviços financeiros, manufatura, mídia/transmissão/editoras, viagens/transporte/distribuição, recursos naturais e outros serviços em companhias com mais de 100 empregados. Os pesquisados foram selecionados com base em suas responsabilidades com a infraestrutura de rede e administração de professionais envolvidos no desenho, operação e manutenção, desenvolvimento e suporte de redes. A pesquisa foi realizada em espanhol e português. Os resultados foram analisados junto com os dados de práticas de pesquisa da IDC em tecnologias de redes e informação.

Fonte: http://www.linkedin.com/redirect?url=http%3A%2F%2Fglobalnewsroom%2Ecisco%2Ecom%2Feasyir%2FBR%2Fpt%2Flocal%2Fpress-release%2FEstudo-revela-demanda-crescente-por-profissionais-de-tecnologia-no-Brasil-mas-ha-falta-de-mao-de-obra-qualificada--996920%2Ehtml&urlhash=jAUe&_t=tracking_anet

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails