29 de abr de 2009

Laboratório IPv6 e OSPFv3




Olá PessoALL,

Encontrei na Internet um Blog semelhante ao nosso, do Mauricio Bento Ghem, no Rio Grande do Sul. Sua última postagem trata-se de um laboratório de OSPFv3 e IPv6. Muito Interessante !

Vale a pena conferir:

http://www.bentow.com.br/

Obs: É bom saber que não estamos sozinhos no Universo Cisconiano !!!

28 de abr de 2009

NetAcademy participa do NetRiders 2009




Os 140 mil estudantes inscritos no programa Cisco Networking Academy da América Latina poderão participar da Cisco Networking Academy NetRiders 2009, competição que busca reconhecer talentos na área de tecnologia de rede.

Na primeira fase, os alunos passarão por exames práticos e teóricos. Cada país qualifica 20 estudantes com pontuação mais alta, cujos nomes ficarão expostos no site da empresa e podem ser consultados por empresas em busca de funcionários.

Dentre esses nomes, serão selecionados cinco finalistas para representar as diferentes regiões da América Latina, que vão disputar a primeira colocação do prêmio.

As inscrições para a competição já estão abertas no endereço http://www.cisco.com/web/LA/netacad/netriders/PT/index.html

27 de abr de 2009

Crise pode ser oportunidade para profissionais de TI

A crise econômica mundial afetou o mercado de trabalho para profissionais de TI. Muitas empresas do setor estão enxugando operações e reduzindo o quadro de pessoal ao redor do mundo, o que deverá causar reflexo também no Brasil. Mas embora as companhias estejam apertando os cintos, o segmento oferece oportunidades para especialistas que estejam up to date com as inovações tecnológicas e tenham diferencial competitivo, garantem consultores em Recursos Humanos.

O fechamento fiscal de muitas empresas fez com que diversas companhias do setor anunciasse corte de pessoal. Foi o caso da Microsoft que comunicou esta semana que vai demitir cinco mil profissionais. A filial brasileira garantiu que a reestruturação não atingirá a operação local. Ericsson, IBM, SAP, Google. Motorola e AMD foram outras que também cortaram vagas lá fora.

As noticias internacionais podem assustar, mas não se sabe ainda com exatidão o quanto a crise afetou o mercado de trabalho de TI no Brasil, que até o ano passado apresentava oferta maior que a procura por vagas por pessoas capacitadas.

Para Claudia Barronca, gerente de Recursos Humanos da consultoria Topmind, especializada na contratação de profissionais para o setor, a crise atingiu sim essa indústria. Mas observa que como muitas empresas dependem 100% da tecnologia para tocar seus negócios, elas continuarão buscando mão-de-obra especializada.

“Num primeiro momento, muitas empresas vão apertar os cintos e adiar projetos. Mas a TI não para”, diz a executiva explicando que elas terão de buscar profissionais para necessidades mais urgentes. Entre as áreas que vão demandar mão-de-obra especializada, Claudia destaca infraestrutura de tecnologia, segurança da informação e gestão de riscos. Os que atuam neste setor e estiverem atualizados tem chances de se darem bem no mercado de trabalho.

Outras áreas quentes

“As empresas não param de investir em TI, pois é em momento de crise que precisam ficar mais produtivas e melhorar processos”, acrescenta Leonardo Dias, gerente de estratégias da consultoria em RH Catho. Ele constata que a demanda do setor por talentos reduziu, mas a indústria de TI ainda está na contramão da crise e é um dos segmentos da economia que mais tem usado os serviços da consultoria em janeiro para contratação de profissionais.

A maioria das ofertas é para analista de sistemas. Há oportunidades também para webdesigners, desenvolvedores de aplicações para terminais móveis, especialistas nas linguagens Java, .Net e por incrível que pareça em Delphi. Para atuar nessas áreas, os profissionais precisam ter domínio dessas tecnologias e comprovar suas habilidades por meio de certificação.

Para Dias, a crise pode ser uma oportunidade para quem está em busca de uma nova recolocação. Ele percebe que algumas empresas estão demitindo os que ganham mais e buscando gente nova para diminuir gastos. Sua recomendação aos profissionais é que se mantenham atualizados e procurem constantemente aprimoramento da carreira, ou seja, estejam preparados.

Sem crise

Na CPM Braxis, prestadora de serviços em TI, que atende o mercado interno e de exportação, a crise não reduziu as contratações. A empresa está com cerca de 300 vagas abertas para profissionais da área. Há oportunidades para líderes de projetos e analistas júnior e sênior. Todos devem ter curso superior e domínio do inglês. Alguns precisam conhecer linguagem Java.

A companhia está recrutando ainda talentos que saibam trabalhar com Cobol, plataforma muito utilizada pelos bancos e operadoras de telecomunicações.

Alexandre Ullma, gerente de RH da CPM Braxis, comenta que alguns projetos de TI até foram atingidos pela crise, como é o caso dos de gestão empresarial, mas que outros estão a todo vapor e carecem de mão-de-obra, motivo pelo qual a consultoria está contratando.

“Precisamos contratar esses 300 profissionais até março”, afirma o executivo. Ele brinca que quem estiver demitindo pode indicar os talentos para a CPM Braxis. Aos candidatos que querem se candidatar a uma das vagas ele recomenda que mandem um currículo bem feito.

O executivo conta que muitos são reprovados nessa primeira triagem porque não dizem de cara no objetivo a tecnologia que mais conhecem. "O profissional tem medo de passar a idéia de que é limitado a uma tecnologia específica e mencionam várias", observa Ullma, que entrega a palavra-chave da peneira do currículo na CPM Braxis, que é a tecnologia que o candidato mais domina.

Garanta seu emprego

Segundo Claudia, da Topmind, com a crise devem aumentar as cobranças em cima dos profissionais de TI e os supersalários serão mais raros. Isso significa que para se manter empregado, os talentos terão de investir mais em qualificação. As empresas vão dar preferência para os que são mais flexíveis, dinâmicos, criativos, que se relacionam bem e que tem diferencial competitivo.

"O momento não é de acomodação", alerta a consultora. Ela recomenda aos profissionais que busquem aprimoramento contantemente e que façam um plano de carreira com planejamento de onde querem chegar no curto e longo prazo. É importante estabelecer metas para atingir esses objetivos e revisar de tempos em tempos.

Claudia reforça que é muito importante ter um plano de carreira para um melhor posicionamento no mercado de trabalho. Segundo ela, essa essa tarefa é do profissional e não mais da empresa. Por esse motivo, todos deveriam dedicar um tempo na elaboração desse plano de voo.

A consultora chama ainda atenção de que não adianta ser bom apenas em tecnologia. O desenvolvimento do lado comportamental é essencial nos dias de hoje. Aos que tem dificuldade para lidar com equipe e se relacionar bem com os que dependem de seu trabalho, Claudia aconselha que recorram a cursos não apenas técnico, mas também aos que ajudem no crescimento pessoal. "Hoje o marketing pessoal é tudo", adverte a especialista.

A Comunicação e a Tecnologia da Informação

Saber comunicar é uma das qualidades mais importantes no mundo dos negócios. É por meio da comunicação que estabelecemos relacionamentos com o mercado. É ela que ajuda a “vender o nosso peixe.” A palavra “comunicação” é oriunda do termo latino – communicatione - e, segundo o dicionário Aurélio, significa “a capacidade de trocar ou discutir idéias, de dialogar, de conversar, com vista ao bom entendimento entre pessoas”.

Portanto, comunicar é muito mais do que apregoar idéias, valores e produtos. A comunicação exige troca, entendimento. Ela faz o homem sair de dentro de si mesmo e o motiva a construir pontes entre ele e as outras pessoas. Ela favorece a aproximação de culturas, o debate de idéias e abre caminho para as inovações. Comunicação é poder. Por isso, ela é um dos fatores responsáveis pelo sucesso de qualquer empreendimento.

Entretanto, para se ter sucesso, as ações de comunicação precisam ser claras e objetivas. Para que isso aconteça, precisamos de alguns ingredientes especiais: boas idéias, público-alvo definido, canal adequado, linguagem correta e bom conteúdo. Esses fatores são decisivos para informar, encorajar e convencer. E mais: a boa comunicação deve ser honesta, relevante e atraente.

Porém, como pode haver comunicação quando faltam boas idéias, clareza e objetividade? É esse o cenário que observamos hoje no mercado de TI. Existe muito barulho mas pouca comunicação. Então, o que pode ser feito para acabar com os ruídos e melhorar a comunicação? Talvez o primeiro passo seja parar de falar e começar a ouvir. Ouvir para entender o que as pessoas querem, precisam e desejam. Agindo assim, será mais fácil perceber que o mercado está mais exigente, que os consumidores amadureceram e que a concorrência chegou para ficar.

Outro ponto: a TI não é a maior preocupação das empresas. Elas estão muito mais preocupadas com a sua sobrevivência. Elas querem resolver seus problemas, melhorar os negócios e precisam de ajuda para isso. Elas precisam de empresas prestadoras de serviços e profissionais que falem uma língua que elas entendam.

Idéias claras e objetivas ajudam o consumidor a perceber o valor dos produtos. Essa percepção é um dos fatores determinantes para a concretização da venda.

Contudo, a boa comunicação não acontece por acaso. Ela exige investimentos, inteligência, tempo e muito, mas muito trabalho. Porém, ela produz bons resultados. Chacrinha, o velho guerreiro, foi um dos maiores comunicadores do Brasil. Ele costumava dizer que: “quem não se comunica, se trumbica”. Isso ainda está valendo.

24 de abr de 2009

Que tal divertir-se enquanto aprende ?






Diversão e educação. Esta é a uma proposta relativamente recente colocada pela própria Cisco em seu portal “Cisco Learning Network”. A idéia baseia-se no oferecimento de uma série de games focados em determinados assuntos e certificações Cisco. Alguns são games online, enquanto outros podem ser baixados e rodados localmente (offline). Alguns são gratuitos, enquanto outros são pagos, mas oferecem uma versão demo. Existem também versões em espanhol de alguns deles, o que pode ser uma alternativa para o que não falam nada de Inglês.

Vale a pena conferir!
https://cisco.hosted.jivesoftware.com/community/connections/games?view=overview

23 de abr de 2009

Novo CCNP Wireless

A Cisco anunciou recentemente que irá lancar em setembro deste ano o novo CCNP Wireless, que eh o proximo passo na Piramide Wireless que comeca com o CCNA Wireless.

Acho que o criador deste Blog, o IT Techinician Sandro Leite, atualmente envolvido em Projetos Wireless, eh forte candidato ao titulo !!!


Confiram em:
https://cisco.hosted.jivesoftware.com/docs/DOC-4235

22 de abr de 2009

Instrutores CCNA Security

Hoje enviei uma duvida minha para o Suporte do Netacademy com relacao a quais seriam os pre-requisitos para ser Instrutor do Novo Curso CCNA Security e vejam so a resposta:

Estimado Adilson,

Obrigado por ter contatado o Suporte do Cisco Networking Academy.

Instrutores que já ensinavam o curso de NS1 ou NS2 vão poder ensinar o novo curso de CCNA Security. Instrutores que estão qualificados a ensinar CCNP: Implementing Secure Converged Wide Area Networks (ISCW) também vão poder ensinar o novo curso.

Instrutores novos vão precisar de fazer o curso para ensinar.

Se precisar de mais informação por favor nos contate.

Obrigado,

Jacob A.

Suporte do Cisco Networking Academy

curso IPv6 e-learning do projeto europeu 6Deploy

Para os aficcionados em IPV6 segue link para um Curso E-learning de IPV6 do Projeto Europeu 6Deploy. Um material muito interessante que da uma breve introducao a temas como QoS, Routing, Security e muitos outros ligados ao IPV6.

Vale a pena conferir !


http://www.6deploy.eu/index.php?page=e-learning

16 de abr de 2009

Tudo o que vc pode imaginar sobre DNS !!!

PessoALL,

Pesquisando sobre o assunto, encontrei um link com uma coletânea com muito material sobre DNS. Vale a pena conferir:

http://143.107.200.101/Tutorial.DNS/DNS.granito2.html

Have Fun !!!

15 de abr de 2009

8 erros de segurança que os usuários mais cometem nas empresas

Amigos, embora pareca básico, achei muito importante divulgar ainda mais este artigo sobre segurança. Realmente, o maior problema está na atitude dos próprios usuários e funcionários das empresas...

Conheça os 8 erros de segurança que os usuários mais cometem nas empresas
Por Lygia de Luca, repórter do IDG Now!

Acessar Wi-Fi público (neste caso, fora da empresa)
Muitos funcionários não sabem que, quando ingenuamente conectam seus notebooks ou smartphones a uma rede aberta, todos os seus dados transitam sem proteção.“Ali, não há criptografia ou proteção. Eu poderia até usar uma ferramenta para ficar ‘escutando a rede’”, afirma o gerente de segurança da Trend Micro, Eduardo Godinho. “Ou seja, se você acessou seu e-mail, o nome de usuário e senha trafegarão livremente na rede do aeroporto, por exemplo”.A solução, caso o funcionário precise trabalhar nestes momentos, acessando Wi-Fi público, seria a empresa fornecer uma espécie de chave de segurança para o equipamento, segundo o gerente da Trend Micro.

Salvar dados online ou em mídias removíveis
Se a pessoa não tem um notebook da empresa, ela pode salvar arquivos no pen drive, CDs ou em aplicativos online.“Ela não sabe se pode ou não fazer isso, e a máquina onde a mídia for usada pode estar contaminada ou o dado ser roubado”, expõe Godinho.Além de colocar em risco as informações confidenciais da empresa, os funcionários podem contaminar o PC corporativo um código malicioso adquirido na máquina impropriamente utilizada.

Encaminhar arquivos para e-mail pessoal
Mesmo sem a intenção de burlar políticas de segurança, o usuário muitas vezes quer aproveitar um dado para usar depois, e daí o erro. “Ali, geralmente ele sai de uma estrutura segura criada, como uma Virtual Private Network (VPN)”, aponta Vendramini.


Clicar em links maliciosos
Caso a empresa não imponha limites de navegação aos seus funcionários, é comum a prática dos mesmos saírem clicando por aí, sem avaliar a procedência dos links.“Alguns usuários dizem que, se recebem algo que desperte dúvida sobre ser malicioso ou não, eles preferem clicar na empresa, pois alegam que ali é mais seguro porque há antivírus e firewall instalados”, diz Godinho.Segundo o gerente regional da Kaspersky Labs no Brasil, Eljo Aragão, um relatório do FBI aponta que “40% das empresas entrevistadas investem menos de 1% do budget voltado à segurança da informação na educação dos usuários”.Por isso, “é preciso de fato definir o que pode ou não, incluindo regras para uso de e-mail, e mostrar por que há um monitoramento ou bloqueio”, aponta Aragão.

Navegação pessoal demais
A maioria dos funcionários não vê problemas em pagar uma conta pelo bankline ou acessar alguns sites, como redes sociais e lojas virtuais, durante o expediente.Godinho cita o exemplo de uma usuária que costumava acessar com frequência um site de cosméticos, e que um spyware instalado em sua máquina detectou este hábito.“O cracker criou um phishing especial, dizendo que ela ganharia alguns cosméticos por ser cliente preferencial, e pediu seus dados para cadastro”, conta.O golpe é típico, mas afetou a empresa porque ela tinha acesso a sua conta bancária, informações que foram roubadas junto aos seus dados pessoais.

Cuidar mal de senhas
Aragão conta que os usuários não percebem, muitas vezes, que nas empresas cada funcionário ganha sua própria senha no sistema para mantê-la em segredo.“Se eles compartilham, pode haver o acesso a dados que não são da competência do outro”, exemplifica o executivo da Kaspersky.Vendramini lembra também que é preciso configurar a ativação de senhas para o bloqueio veloz de aparelhos móveis, como smartphones. “Afinal, o dispositivo não precisa ser necessariamente roubado, mas pode ter sido deixado em cima da mesa ao ir para o banheiro, e um e-mail com dados importantes ser encaminhado sem autorização”, exemplifica.

Usar PCs desconhecidos (especialmente fora da empresa)
Ao manipular dados sigilosos, é preciso ficar atento com o meio de acesso. Abrir um e-mail com informações da empresa em um PC de Lan House, por exemplo, é definitivamente má ideia, segundo Vendramini.“Evite os computadores públicos, use a máquina da empresa ou o PC de casa, nos quais você conhece o nível de segurança”, resume. Aragão lembra que a empresa deve incentivar que o computador do usuário seja seguro. “Para a máquina de casa, o que as empresas podem fazer é adquirir licenças para o uso doméstico, que não é exatamente o mesmo software de segurança da rede dela.”

Burlar o bloqueio de aplicativos
Hoje é comum que os usuários ignorem as ordens da empresa relacionadas aos limites de acesso - como bloquear redes sociais e comunicadores instantâneos.“Com ferramentas de web proxy, você acessa o que quer usando um servidor de proxy, que não é o da empresa”, explica Godinho.O bloqueio de sites não é feito à toa pelas empresas. Em recados deixados no Orkut, por exemplo, são distribuídos vários malwares, em golpes simples que pedem para o usuário 'clicar para ver fotos' - e é aí que acontece a contaminação do PC do funcionário.

É isso aí, um abraço a todos!
Sandro Leite.

13 de abr de 2009

Especialistas: Telefônica foi alvo de crackers

(http://computerworld.uol.com.br/seguranca/2009/04/13/especialistas-telefonica-foi-alvo-de-crackers)
Por Pedro Marques, editor assistente do IDG Now!
Publicada em 13 de abril de 2009 - 12h18
Atualizada em 13 de abril de 2009 - 12h58
São Paulo - Ataques que impediram funcionamento do Speedy foram causados por 'milhões de PCs contaminados com programas maliciosos'.
Os problemas no Speedy, que começaram na segunda-feira (06/04), foram causados por ataques de crackers, segundo analistas de segurança ouvidos pela reportagem do IDG Now!. “Nesse ataque específico, o objetivo é mesmo causar problema para a empresa”, afirma Eduardo Godinho, gerente técnico da Trend Micro, empresa que desenvolve softwares de segurança para computadores.
>> Sua empresa teve problemas com o Speedy? Comente na CW Connect
Os ataques congestionaram os servidores da Telefônica, impedindo que a operadora pudesse prestar o serviço. Por meio de comunicado, a companhia admitiu que foi alvo “de ações deliberadas e de origem externa”, mas não mencionou abertamente que estava sendo atacada por crackers.
Denny Roger, diretor da Epsec, empresa que presta consultoria de segurança, “desconfia que os ataques foram causados por um vírus ainda não identificado”. “Não é só a Telefônica que está tendo problemas, outros sites estão sendo atacados”, diz. Segundo Roger, esses ataques são feitos por computadores contaminados, que agem de maneira a sobrecarregar um servidor.
Por isso, o especialista acredita que existem milhões de computadores contaminados com esse programa malicioso. “Tem muito computador contaminado, porque para derrubar a Telefônica precisa de muita força bruta. É na casa de milhões de pessoas contaminadas.”
Roger explica ainda que “a origem do ataque muda constantemente”, tornando o trabalho da equipe de segurança da operadora mais difícil. Assim que um computador é bloqueado, por exemplo, outro começa a atacar a Telefônica, mantendo o serviço indisponível.
Gabriel Menegatti, diretor de tecnologia da F-Secure, isenta a Telefônica de culpa. "Não adianta, você pode ter a tecnologia de ponta, e os crackers desenvolvem algo mais evoluído. É uma briga de gato e rato", argumenta.
Menegatti defende, no entanto, que o caso seja investigado a fundo e os culpados, punidos. "O ponto principal é não deixar essa situação impune. É preciso investigar de onde veio toda essa demanda e chegar no causador. Senão, vamos ter mais ataques." O especialista acredita que é possível "chegar à fonte exata". "Pode demorar um pouco, mas é possível."
Enquanto isso, Eduardo Godinho, da Trend Micro, afirma ter notícias de que a Telefônica “está tentando mover os usuários do Speedy para outros servidores”. Esses assinantes usariam uma rede separada e livre de ataques. “Mas não é tão simples, assim, pelo número de usuários.”
Contatada pela reportagem, a Telefônica declarou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não tem informações sobre se irá ressarcir os usuários pelos problemas no acesso e nem como isso será feito.



Copyright 2009 Now!Digital Business Ltda. Todos os direitos reservados.

6 de abr de 2009

IBM Security Forum




No dia 02/04 - última quinta-feira, pude assistir ao IBM Security Forum 2009, evento da IBM e seus partners com o objetivo de divulgar soluções de Segurança em TI e Governança.

Segue abaixo roteiro do evento. Foi dado aos participantes um pen-drive de 2 Gb com material promocional sobre as soluções apresentadas durante as palestras e workshops. (os slides usados no evento serão enviados posteriormente via e-mail para os participantes).

Confiram na tabela abaixo e vejam se algo lhes interessa:

1 de abr de 2009

Registro.br versus Lacnic.net

Olá PessoALL,

Depois de um longo e tenebroso inverno, finalmente consegui um tempo para postar aqui no blog.
Desta vez, recomendo as seguintes leituras:

Serviços do registro.br:
http://registro.br/mapa.html

Pesquisas sobre domínios registrados, estatśticas, dúvidas mais frequentes sobre DNS, DNSSEC, etc


Serviços do lacnic.net
http://www.lacnic.net/pt/registro/

Administração de Recursos Internet (alocação de blocos de endereço IP, Sistemas Autonomos - ASN, etc)

Obs: Há alguns meses participei de um processo seletivo na Telefonica onde foi cobrado conceitos referentes a administração dos recursos citados nestes sites, tais como CIDR, ASN, etc. (coisas que fogem do conhecimento técnico que aprendemos nos módulos do CCNP).

Creio que se tivesse lido os sites acima teria ido bem melhor nestas questões. Creio que vale a pena ler e comentar com nossos discipulos.

Abs,

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails