19 de nov de 2009

Aceleração WAN, tendência que veio pra ficar

Descrito no Gartner como umas das 3 tendências que terão destaque em 2009, as empresas vêm apostando no desenvolvimento de tecnologias de otimização e aceleração Wan.

O motivo para isso é simples: As redes locais (LANs) atualmente suportam velocidades na casa dos 10 Giga, mas a grande maioria das WANs tem sua banda limitada na casa dos 45 Mbps (T3) ou 34 Mbps (E3). Velocidades maiores - como STM-1 (155 Mbps) - até podem ser disponibilizadas, mas quando o assunto é banda WAN, cada megabit custa, e muito! O problema é que as aplicações evoluem e, com elas, a demanda por velocidades de transmissão aumentam cada vez mais. Chegamos então à questão: como disponibilizar mais banda, porém sem gastar muito mais dinheiro?

Aceleradores WAN permitem contornar as limitações mencionadas acima, permitindo transferências mais rápidas e eficientes e com uma menor taxa de perda de pacotes, sem que seja necessário contratar mais largura de banda. Estes dispositivos trabalham comprimindo e armazenando (caching) os dados, alterando parâmetros do TCP e implementando políticas de qualidade de serviço (QoS) para aumentar a eficiência no processo de transmissão de dados. Alguns fabricantes alegam que seus dispositivos chegam a aumentar a capacidade de transmissão em até 1000 vezes.

Basicamente, os aceleradores baseiam-se no armazenamento (caching) e poderosos algoritmos de compressão para fazer seu trabalho. Mas a manipulação do cabeçalho TCP também é peça-chave neste processo de otimização. Lembremo-nos de que o TCP foi criado há mais de 20 anos e, na época, as necessidades de transmissão e a qualidade das redes era muito diferente das de hoje. Os aceleradores alteram propriedades do TCP para adequá-lo à realidade das redes de hoje. Isso torna o processo de transmissão extremamente eficiente e resulta nos ganhos anteriormente mencionados.

Os aceleradores WAN são colocados em cada ponta do link WAN. São necessários ao menos 2, já que os cabeçalhos são alterados e os dados comprimidos e, sem um dispositivo que possa entender os dados alterados que chegam na outra ponta, estes tornam-se ilegíveis para equipamentos convencionais (como routers ou PCs). Atualmente, temos cerca de 10 grandes players neste jogo de bilhões de dólares: A10 Networks, Riverbed Technology, Cisco Systems, Blue Coat Systems, Citrix, Exinda Networks, Intelligent Compression Technologies (ICT), Juniper Networks, Expand Networks, Nortel Networks.

A grande vantagem de se utilizar aceleradores é que, mesmo sendo equipamentos um pouco caros, em muito pouco tempo temos o retorno do investimento (ROI), já que não temos um aumento no custo recorrente (banda).

No Brasil, a implementação do Cisco WAAS nas Casas Bahia diminuiu em 90% o tempo necessário para transmissão de informações e proporcionou mais agilidade a aplicações de negócios. Esta Implementação é a terceira maior do mundo nesta natureza e a primeira na América Latina. confira em:


http://www.cisco.com/web/BR/clientes/casasbahia/casasbahia_interna.html


Fonte:

http://imasters.uol.com.br/artigo/12399/redes/aceleracao_wan_tendencia_que_veio_pra_ficar/

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails