26 de mai de 2009

Gerenciamento OoB

O gerenciamento OoB permite que aos administradores acessem sua infra-estrutura de TI e de Telecom de maneira segura e eficiente, proporcionando desta forma alta disponibilidade aos ativos de missão crítica, redução de downtime, e aumento do SLA.

Tradicionalmente, quando um ativo de TI ou de Telecom entra em status de falha e perde conseqüentemente a sua interface de produção, os sistemas de gerenciamento de rede (SNM) notificam o administrador que determinado ativo não está mais acessível, mas são incapazes de dar maiores detalhes sobre a natureza da falha, e muito menos permitem acesso remoto a este ativo, visto que este ativo não está mais disponível pela rede.

Como resultado, para diagnosticar e recuperar o ativo, é necessário o encaminhamento de um técnico no local, o que provoca aumento do tempo da indisponibilidade e despesas diretamente relacionadas a recuperação deste elemento.

Considerando estes aspectos, cada vez mais empresas integram o gerenciamento Out-of-Band a sua estrutura de gerenciamento tradicional, proporcionando acesso alternativo e seguro, independente da rede de produção, garantindo que o equipamento seja recuperado remotamente, de maneira rápida e eficiente.



Gerenciamento remoto de servidores - Console Serial e Interface Gráfica:

Neste cenário o sistema de gerenciamento In-Band (OpenView, Nagios, Tivoli entre outros) notifica que um dos servidores do Data Center não responde mais. O administrador, através da rede In-Band e em seguida pela infra-estrutura de acesso Out-of-Band, se conecta a interface de configuração do servidor (Porta Console/Serial, IPMI, ILO, ALOM, DRAC entre outras) acessando HW, BIOS, SO ou mesmo a aplicação, através da importação da interface gráfica (vídeo, mouse e teclado) do servidor inoperante. Após esta operação o administrador ainda pode desligar e religar remotamente o equipamento acompanhando o processo de carregamento do SO pela porta console do servidor. A recuperação do servidor foi executada remotamente de forma eficiente e segura em apenas alguns minutos. Importante lembrar que a segurança no acesso é garantida através de autenticação forte (LDAP, TACACS+, RADIUS), criptografia (3DES, Blowfish, OTP, Kerberos) e log de acesso para eventual auditoria.

Atualmente existem muitas empresas conceituadas no mercado que oferece consultoria aos servidos de gerenciamento OoB, tais como a Avocent. Entretanto, alguns fabricantes de servidores já adotou o uso desse gerenciamento, como a conhecida HP com o seu Integrated Lights Out (iLO), onde o administrador via browser consegue reiniciar o servidor, bem como acessar o Setup e realizar um boot com um CD de instalação do sistema operacional.

Referencias:
http://www.hp.com
http://www.avocent.com

2 comentários:

Alex disse...

Bem interessante que a infra da empresa esteja preparada para esse modelo de gerenciamento "OoB", porem poucas empresas estão dispostas a ter meios paralelos de gerenciamento, evitando assim gastos com links remotos e ate mesmo auditoria desse serviço.

De qulquer forma, uma excelente matéria do Thiago, parabéns!

Thiago Correia disse...

Alex,

Realmente as empresas estão interessadissimas em obter custos menores com TI. Lembrando que o orçamento de TI já é pequeno, cerca de 6% é usado para investimentos, ou seja, o investimento é pequeno mas temos que projetar soluções grandes.

Caso você tenha interesse em conhecer mais essa tecnologia eu lhe aconselho buscar informações nos sites dos fabricantes, pois lá você encontra-ra estudos de caso.

Abraços,

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails